Feliz pra sempre

Tem uma música que diz: “A vida que me ensinaram como uma vida normal, tinha trabalho, dinheiro, família amigos e tal…” e quem nunca ouviu isso? Quem nunca ouviu que era disso que precisava para ter uma “vida normal”, ter uma “vida boa”, eu, pelo menos, ouvi muito, ouvi sempre, principalmente das tias. Mas eu me questionava o que vinha depois, será que era o grande e poderoso “felizes pra sempre”?

Mas sabe, o que é “ser feliz pra sempre”? Hoje eu tenho uma visão diferente do que seja esse final, porque pra mim ele é isso: um final. Pra mim o “felizes pra sempre” é quando você está numa cama de hospital e olha pro lado e vê as pessoas que você ama e que te amam, é olhar pra trás nesse momento e ficar feliz, é não ter medo do que vem depois, pois você fez seu melhor até ali, é ser feliz, muito feliz e depois morrer pra sempre.

Talvez eu tenha influência da minha fé sobre o depois da morte, talvez seja isso mesmo, porque eu acredito numa felicidade eterna depois dessa vida de camelo, mas eu não acho que seja só isso não. Acho que eu aprendi que felicidade todo dia é ruim, é triste, não faz crescer, é comum demais.

Possivelmente eu ache que a gente tem que viver numa montanha russa que quando você tá subindo você fica nervoso pra caralho por medo de cair e não chegara lá, mas feliz porque tá subindo e que quando desce você grita, grita muito, pois tem medo de descarrilar tudo e você morrer, grita porque dá desespero, às vezes chora porque o chão tá tão perto, mas aí você sobre de novo e depois caí.  E eu não sei vocês, mas eu acho a parte final, aquela que você vai em linha reta até a saída a mais chata, pois não tem adrenalina, não sobre, não desce, não faz looping, só vai em linha reta, que graça tem isso?

A vida de ninguém tem que ser igual não, as subidas e quedas são individuais, por mais que você tenha alguém ali do lado, só você sente o que você sente, ninguém mais, por mais que essa pessoa queira, pode sentir por você, seja alegria ou tristeza, dor ou felicidade, é você, no final é só você, por isso cada um precisa procurar a sua montanha russa.

Cada um pode escolher ir sozinho, acompanhado, cheio de amigos, cheio de família, tirando foto, com as mãos pra cima, compenetrado, desesperado, “de boas”. Cada um sabe se quer ficar na mesma montanha russa pra sempre, ou se quer trocar a cada 5 minutos, se quer voltar, se quer ir, se quer dar um tempo, se quer só olhar.

Essa comparação é muito clichê, eu sei, mas eu vejo o viver dessa forma, todo mundo precisa chegar no topo, todo mundo precisa cair, todo mundo precisa chorar, todo mundo precisa rir, todo mundo precisa crescer, todo mundo precisa se amar. Se você vai amar alguém, vai dividir sua vida com alguém, se vai ter filhos, trabalho, casa, carro, viajar o mundo inteiro, ir em tudo quanto é show, ou ficar em casa o dia todo lendo, ou ir na balada e se acabar com as “migas” é algo que você escolhe, ou até mesmo que a vida escolhe um dia pra você se você estiver aberto a isso.

Depois de tudo isso, depois de uma montanha russa enorme e kilometrica, ou de uma curta, mas impressionantemente intensa, eu só desejo a você que você encontre seu “felizes pra sempre”, que você sinta-se amado e se ame muito, que não olhe pra trás com pesar, mas com orgulho de todas as voltas que terão feito de você a pessoa que estará lá e aí, nesse final, você seja capaz de tocar o invisível que é a felicidade, que ao fechar os olhos você consiga sorrir mesmo que com dor e que seja pra sempre, pra sempre feliz.