No dia mulheres e eu aproveitei o melhor que pude!

Uns anos atrás, quem me lê há um tempinho já viu essa Camila: Uns anos atrás eu era dessas de bradar que “dia das mulheres não se ganha flor”. De fato, não se ganha. Não é dia para comemorar o fato de ser mulher. É dia de lembrar que nem todo mundo tem os mesmos Leia mais sobreNo dia mulheres e eu aproveitei o melhor que pude![…]

Sobre virar a página e Continuar Caminhando

Quando eu comecei a escrever para o Wattpad foi só para testar. A audácia de uma menina em querer ser grande. Todas as leituras, os amigos, os encontros, isso foi consequência. Todas as vezes que eu quis escrever mais e todas as Dependências que eu peguei na facul, isso foi consequência. Sou ligada em duas Leia mais sobreSobre virar a página e Continuar Caminhando[…]

O Corpo manda parar e a Cabeça: “Continua”!

Semana passada eu adoeci. Depois de faculdade de manhã E de noite, de cobranças minhas comigo, de coisas que eu quero fazer e não consigo, de trabalho remunerado e não-remunerado, o corpo me obrigou a parar. E eu sabia que era emocional, mais do que físico. Foi gripe, só isso, mas houve espinha em demasia, Leia mais sobreO Corpo manda parar e a Cabeça: “Continua”![…]

Algumas de nós ainda vivemos na mordaça – Então não faça piadas daquilo que dizemos.

Todo dia eu fico sabendo de uma mulher que foi exposta. Alguém que disse alguma coisa indevida ou tirada de contexto que acabou viralizando como “a mina que tem que ser crucificada por dizer o que disse”. É todo dia. Se não é por um print indecente, é por outra babaquice qualquer. Nome, perfil mencionado, Leia mais sobreAlgumas de nós ainda vivemos na mordaça – Então não faça piadas daquilo que dizemos.[…]

O Próximo Einstein Vende Cartões C&A

Em qualquer lugar que você vá, que fale sobre algum tema específico, vão aparecer especialistas. Quando o assunto é sério, o que você quer e o que procura são especialistas. Gente que vai te explicar bonitinho, por A e B o que é que você não entende. É para isto que serve a droga do Leia mais sobreO Próximo Einstein Vende Cartões C&A[…]

Parem de Romancear Bad Boys

Como alguém que escreve, tratar de Bad Boys e Mocinhas parece um tiro no pé. Como alguém que quer ser lida, tratar de algo que todo leitor de romance já leu alguma vez na vida parece insensato. Uma espécie de ofensa, só que não é. Não é para ser, não se trata disso. Reclamar da romantização Leia mais sobreParem de Romancear Bad Boys[…]

Adeus 2014, Olá 2015

Aqui estou eu, no segundo dia do ano, sem nada para fazer (finalmente) pensando no ano que se foi e no ano que ainda começa. Sim, querido leitor zero, acho que mesmo contra minha vontade, isso vai ser um daqueles textos de reflexão. Me perdoe de antemão. 2014 figura entre um dos piores anos de Leia mais sobreAdeus 2014, Olá 2015[…]

Fast Food Versus Slow Food

Leitor Nulo, não troquei a frase de bem-vindo que vem no cabeçalho do blog, isso aqui ainda é sobre livros. Só que… Como, no Fast-food que é a internet, posso tratar da Slow Food, que são os Livros? É uma pergunta que eu faço e não consigo me responder. Manter periodicidade é uma premissa de Leia mais sobreFast Food Versus Slow Food[…]

Literatura não serve pra nada. ME POUPE!

Somos treinados desde pequenos a narrativas complexas. Filmes com reviravoltas, personagens que morreram no meio do filme e voltam das cinzas numa continuação, as CutScenes que devem se chamar assim por que ninguém assiste. Tem ainda as novelinhas, os programas infantis (Castelo Rá-tim-bum, Rá-tim-bum, Os Saltimbancos). Tudo baseado em história. Se começamos lá atrás com aeronaves destruindo meteoros, a história nos trouxe a Trevor, Michael e Franklin. Vocês que sabem de videogame melhor que eu, não podem discordar.

Entretanto, não é de hoje que personagens são estudados na Literatura. Para criar VideoGames, pessoas estudaram Teoria Literária. Para Criar Filmes, estudaram. Antônio Cândido já falava da diferença de um personagem plano (Mario Mario, encanador “”Italiano”” que pretende salvar uma Princesa das garras de um Vilão), comparado a Personagem Elíptico, como o já comentado,  Trevor, de GTA V. Ou ele não é um Solitário que se apaixona pela Esposa Sequestrada, ao passo de ser um cara que não passou no exame Psicológico para piloto? Até de sua criação sabemos! O Papai violento e a mamãe tagarela… […]

Com amor, o Teclado

Sobre Métodos de Criação de Romances

Eu fico vendo pessoas no Facebook – Estudantes, sua maioria – que fazem questão de mostrar a quantas andam seus romances. Que mais um capítulo fora concluído, mais um personagem está morto. Seus beta readers, quantas palavras eu devo escrever para que um agente literário leia meus manuscritos, como eu devo me portar Online, se Leia mais sobreSobre Métodos de Criação de Romances[…]

Laranja Mecânica – Anthony Burgess

Primeiro, quero agradecer ao WordPress. Por ter simplesmente sumido com a primeira tentativa de postagem sobre o livro. Valeu mesmo.

Quando eu era uma Devotchka, com meus 13/14 anos, Laranja Mecânica apareceu na sala de aula, em plena Filosofia. Violência gratuita horrorshow, nem assistimos até o fim pois não era só na minha litso, que estava estampada o estranhamento. A sala inteira ficou muito sem saber o que dizer, quando via Alex e sua turma, logo nas primeiras cenas do filme, batendo num homem e estuprando uma mulher, na versão de Kubrik. O professor levou um ótimo filme para a gente – a gente que não estava preparado para ponear ele. Mas o tempo passa, a gente aprende a gostar da boa e velha pancadaria, de króvi saindo das rots. Króvi espalhada na tela, de deixar a gente spugui. E volta praquilo que antes era só violência. Volta pra Laranja Mecânica, em livro. Por que né, como a gente bem sabe, o livro é muitas vezes melhor que o filme. Tive a chance de achar uma versão lindona do livro, com conteúdo extra, capa dura, laranjinha laranjinha, ilustrado, bem editado, feito com o maior amor e carinho, com cinquenta por cento de desconto. Fiz até, olhe só, um vídeo pra mostrar a belezûra. (Cabe um Obs.: Ignora o som, o tamanho e tudo o mais. Foca no livro).

[…]

Sobre o que vão dizer de mim

Que eu sou muito pequena, Muito nova, Muito patética. Que pra dar opinião sobre qualquer coisa, tem que se ter experiências, citar fontes, Que não é qualquer panaca que sai por aí falando, que vai ser reconhecido como uma mente pensante. Vão me dizer – sim, nessas horas, prevejo o futuro – que eu devia Leia mais sobreSobre o que vão dizer de mim[…]