Algumas coisas que aprendi nos poucos meses de Wattpad que tenho

(Manifesto: um escrito declarando publicamente as intenções, motivos, ou visões do Manifestante) Tem sido uma experiência do caralho. É a primeira coisa que eu digo. Talvez não seja bom começar falando desse jeito, então vou começar de novo. Amanda Palmer, musicista que mostrou os peitos no palco, esposa do Neil Gaiman. Maria Popova, curadora do […]

O que faz do Herói um Herói

Pode ser o físico, a liderança, a coragem. Certamente são qualidades que associamos ao herói. Hércules e seus doze trabalhos estão aí para provar que não minto. Mais corajoso, quanto mais ele se afunda na própria conquista, guiado por velhinhos sábios ou ajudado por amigos, mais nós qualificamos esse ou aquele personagem. São características que […]

Não somos tão criativos quanto pensávamos

Atingir o Novo em pleno século 21 é mais importante que qualquer outra coisa. Novas ferramentas no mercado. A cada dia, um App e um joguinho de celular são lançados. E com a mesma velocidade (isso é, descontando o tempo prévio de desenvolvimento) a novidade esmaece. Três novidades para ocupar o posto. Alguém ainda se […]

Meus primeiros contatos com o Marquês de Sade

Todo mundo tem curiosidade. É falar da história dele e a gente fica com a pulguinha atrás da orelha. Coçando. Há, eu sei, quase um sacrilégio, quem nunca tenha ouvido falar dele. Mas “Marquês de Sade” é uma das coisas no complexo movimento da terra (que eu nunca vou entender) que provoca curiosidade fulminante. Um […]

Bukowski era um Henry Miller com mais pau

E comia mulheres melhores. Se bem posso me lembrar, se bem pode a memória tomar conta desse detalhe, digo, Bukowski tinha um pau de 19cm e o Miller, só 15. Eis a prova cabal de que tamanho não é documento. Pelo menos, para as francesas. Ambos se contentavam em chamar suas mulheres por “bocetas”, ou […]

[Resenha] Um Cântico para Leibowitz

Outra coisa que me prometi, foi de escrever mais aqui, querido senhor Leitor Zero. Comprei o Cântico na feira do livro da USP e como me prometi desencalhar leituras, esse foi o escolhido da vez. Se a gente seguisse com a ideia da Úrsula K. Le Guin, sobre o que é a Sci-fi, eu ficaria […]

Adeus 2014, Olá 2015

Aqui estou eu, no segundo dia do ano, sem nada para fazer (finalmente) pensando no ano que se foi e no ano que ainda começa. Sim, querido leitor zero, acho que mesmo contra minha vontade, isso vai ser um daqueles textos de reflexão. Me perdoe de antemão. 2014 figura entre um dos piores anos de […]

Fones de ouvido para esquecer do mundo

Ah, o poder de ser ignorado e ignorar! Colocar fones de ouvido é a mesma coisa que colocar aqueles gravatinhas de porta escrito: Não perturbe! É o código universal (que sua mãe não entende… ) de que você não quer papo. Pode ou não ter músicas envolvidas. Tem quem goste de usar fones de ouvido […]

[Resenha] Uma mulher no Sci-fi???

Vencedor do Hugo Awards de 1970, competindo contra o SlaughterHouse-five de Curt Vonnegut, (Matadouro 5), em português. “A Mão esquerda da escuridão” de Ursula K. Le Guin figura entre os meus melhores deste ano! Li, em resenhas do Skoob que uma pessoa “sem querer ser machista, este livro só poderia ser escrito por uma mulher”. […]