O que faz do Herói um Herói

Pode ser o físico, a liderança, a coragem. Certamente são qualidades que associamos ao herói. Hércules e seus doze trabalhos estão aí para provar que não minto. Mais corajoso, quanto mais ele se afunda na própria conquista, guiado por velhinhos sábios ou ajudado por amigos, mais nós qualificamos esse ou aquele personagem. São características que as empresas buscam num gerente, que os leitores buscam num herói, que as mulheres (aquelas que querem casar) buscam num marido.

Harry Potter, Catness Everdeen e Frodo estão aí. E o que nos separa deles, além de seus universos?

Desculpa mundo, mas eu não sou lá muito corajosa. Levei, só para tirar meus texto da gaveta, mais de dez anos. O Harry não é muito inteligente, ele tinha a Hermione para ajudá-lo e o Frodo era ganancioso. Se os personagens não têm defeitos, nós não lhes damos atenção, por que eles não são como nós.

Quando lemos histórias lendárias, a gente não se apaixona pela trama, a gente gosta dela. A gente se apaixona mesmo é pelos personagens. O jeito com que tratam os outros, o que pensam, o como fazem. Gosto de pensar que o personagem é um ratinho que a gente cria e solta num labirinto. Cabe ao escritor observar o comportamento dele. Comparar a diferença (talvez, semelhanças também) entre nós e quem corre naquela caixinha apertada. Acho que está aí a graça de escrever. Meter uns “e se…” no meio e sair testando.

Por isso, quando falam de heróis, eu não vejo o herói como aquele conjunto de qualidades que todo mundo inveja e joga na caixinha das virtudes. Ele pode ser corajoso e leal e ético e tudo o mais, mas por que eu leria a vida de uma pessoa perfeita? Aquiles na Ilíada foi um grande cusão depois que perdeu suas honrarias de batalha e só foi melhorar depois da morte de Pátroclo. Odisseu da Odisseia (não me diga?) enganou o Ciclope e num momento de desmesura revelou-lhe o nome. Tudo por que queria ser conhecido como “aquele que derrotou o gigante”.

Heitor pra mim, é que é o Herói da Ilíada. Pena que Tróia Padece.

E hoje em dia? Quem é o herói? Certamente eu escrevo sobre um. Eu tenho uma quedinha por gente que faz cagada e quer consertar, eu sou assim, o Leitor Nulo dessa biroska é assim. Toda vez que a gente erra e quer reparar os danos, nós somos os heróis. Tem alguém, em algum lugar do mundo, escrevendo uma história parecida com nossas vidas, com dramas semelhantes e que está, incondicionalmente, apaixonado pela gente. Tem quem chame isso de Deus. Tem quem chame isso de balela e tem eu, que prefere acreditar que tem alguém, em algum canto, que está escrevendo o meu caminho, me chamando por heroína e colocando pedras no caminho só para… só para prender o leitor.

Segue um Vídeo lindeza do TEDEd que fala um pouco sobre Herois: (Tem Tecla SAP!)