acessibilidade e aniversários

Quase todo mundo, se não todo mundo, já teve aquele ídolo inalcançável. O expoente de admiração que você quer se igualar mesmo acreditando ser impossível. Aquela pessoa que você acha que vai morrer se conversar com ela, caso um milagre aconteça e você consiga esse feito.

A minha ídola inalcançável é a Jk, acho que sempre será ela e acredito que muito admirem essa mulher da mesma maneira que eu. O problema disso foi que eu cresci acreditando que os autores eram pessoas intocáveis, até, quem sabe, uma criação da minha mente da mais pura perfeição…

Mas o jogo começou a mudar quando eu conheci o Wattpad, lá eu descobri que por trás de muitas histórias realmente boas existiam pessoas reais, de carne e osso, contas pra pagar, lágrimas e sorrisos. Numa dessas histórias eu, como a maioria de vocês, encontre OPHDMMSE, mas eu não encontrei a autora logo depois, o encontro foi bem depois e não só por um grupo de divulgações de histórias do wattpad, nem no grupo de histórias dela, mas foi também num corredor da faculdade.

Talvez pra autora, que agora já tinha nome, Camila como vocês bem sabem, tenha sido algo comum, até mesmo porque eu não me joguei no chão ou agarrei ela, pois eu estava com uma caixa de cupcake e tendo que vender e receber, não sozinha, porque minha amiga estava lá, mas demanda uma certa atenção tudo isso, mas mesmo tendo sido meio estranho e rápido aquele foi um momento que muita coisa passou a ter uma imagem diferente na minha cabeça.

A Camila não é só uma pessoa que senta em frente ao computador e escreve e escreve, aí joga na internet pra que leitores como eu e você engulam, chorem e bajulem ela. A Camila ela tenta proporcionar pra gente o máximo de acessibilidade a ela, aos projetos literários dela e, de certo modo, a vida dela. Quem aqui não conhece uma história do Wagner, vulgo marido da Camis? Nós todos já xingamos, amamos a Camila publicamente, demos pitaco nas histórias, nos horários e tantas outras coisas, e só pudemos fazer isso porque a Camis não se permitiu ser um santo perfeito numa pilastra, mas se permitiu ser como cada um de nós.

Quando eu chamei a Camis a primeira vez no chat eu fiquei reciosa não só por ela ser a autora de um livro que eu gosto, mas por ser minha veterana, só que ao passar dos dias eu conheci nela uma amiga que se preocupa, que pedi desculpas por coisas que nem são culpa dela, que apoia em algumas loucuras, que acreditou tanto em mim que me permitiu fazer parte do grupo que escreve aqui. Blog pra mim sempre foi algo muito pessoal, inteiro, filho que a gente não confia na mão de qualquer um, então quando eu fui convidada a estar aqui foi um momento bem grande pra mim, não sei se estou sendo suficiente, mas tenho feito com carinho, carinho esse que é reflexo da amizade que a Camis tem por mim e por cada um de vocês.

Camis, acho que o texto pode estar confuso, mas eu quero nesse dia te agradecer por nos permitir “tocar” em você, criamos mais que uma relação leitor-autor, agradecer por nos respeitar tanto, por se preocupar tanto, por nos levar a sério, por ler as besteiras e as coisas sérias que postamos, por não desistir da Fê, do Dio, do Lipe, do Guto, da Manu, da Dê, da Bia, do Quin, da Dix, dosoutrosquenãoseionomeporquênãoli, do Wagner, de nós, dos seus sonhos, da sua faculdade, do seu sustento e, principalmente, de você.

Que seu ano seja enorme em conquistas, realizações, dinheiro, notas excelentes, beijos, abraços, aprendizados, histórias, felicidades.

Estamos aqui por você, eu estou aqui por você.

Obrigada por tudo que você já fez e faz por mim, aqui não tem nem metade das coisas pelas quais tenho já para te agradecer, mas espero que assim que nos vejamos (terça, prometo) eu posso expressar um pouquinho dessa gratidão num abraço fofinho.

Feliz aniversário, monamu!

Ps: Tá sem revisar, pois preciso dormir, mas está cheiozão de amor!

  • Camila Alves

    Linda *_*

  • Camila Marciano

    Tão amorzinha, Vivi <3

    Eu quem te agradeço <3 <3 <3

  • Denyse Diniz

    <3