NanoWriMo – 2017

Caralho, que ano! Nem acabou e já tô com a sensação de – UFA! Nem acabou, mas pensa: dois livros na sua casa, uma Bienal, um cachorro diabético operado de hérnia, faculdade que foi para os ares e a porrada de coisa que aprendi.

Mas acabou? Não, claro que não, eu como merda.

Há uns quatro anos que eu sei que existe o tal do NanoWriMo. A meta é um mês para colocar um livro no mundo. 50 mil palavras, 1.667 por dia, por trinta dias – e voilà! Nunca consegui escrever um livrinho pequenininho assim. O Lipe tinha aproximadamente 150 mil palavras e ele é menor que o pai dele, já o Caçula, senhor Ingrato, vai ter pelo menos 150 mil, para mais. Porque o Guto é o Guto, né.

Então, com isso em mente, sabendo que 50 mil palavras é coisa para cacete e sabendo que eu não sei escrever pequeno *até porque a minha alma não o é* decidi re-escrever o Guto neste desafio de NanoWriMo. Começando dia 1/11, eu tenho até 30/11 para escrever.

Era para o Guto estar pronto dia 7 agora, mas, ei, eu já te contei que ano do cão foi 2017? Se até o marcador magnético resolveu atrasar, quais são as minhas chances de ser pontual? Vai atrasar também porque, ai, prefiro atrasar que entregar qualquer coisa e este sem sido o lema da vida. Atraso, devo, não nego, pago quando puder. Mas entregar meia-boca, meu bem, isso eu não entrego mesmo.

Afinal, a deadline tá morta, né?

Tava ontem aqui escrevendo o roteiro do Guto, juntando as pontas pendentes que eu deixei no Lipe para amarrar tudim no finzim, e vi que é coisa para caramba. 14mil palavras já foram, dá uma olhada:

Tá sem capa ainda, porque senão seria um baita de um spoiler, né? E a capa tá ficando a corramailinda do mundo. A LK Books acertou como sempre acerta, mas, aff, vô nem falá nada. Só espera o resultado que daí fica mais foda.

Tô pensando, conforme for progredindo o NanoWrimo e o Guto, de fazer tipo um diário da escrita. Quanto foi, o quanto avancei, porque ficou difícil, os dilemas. Tipo, não posso te entregar o ouro e deixar você ler, né, isso seria muito sem graça, mas eu posso te matar assim, aos pouquinhos.

No insta vai ter publicação todo dia. E pode ser que tenha uma História lá e no Grupo de Face, também. Semana que vem sai uma enquete sobre quando eu abro a pré-venda do Gutíneo. E daí que as coisas começam para valer.

Certo? Não, eu sei que não. A mendigada queria mesmo é ler, mas ler não vai estar sendo possível, senhora.

Não, até que ele saia oficialmente do NanoWriMo pro mundo.

E você pode me acompanhar por aqui: https://nanowrimo.org/participants/camilamarciano/novels/o-ultimo-homem-da-minha-mulher-sou-eu/stats